quinta-feira, 19 de junho de 2014

TREINADOR DE FUTEBOL, PROMESSA PARA NUNCA MAIS OCUPAR O CARGO.

Foi muito bom! Passar pela experiência de treinador de futebol é algo de deixar qualquer individuo com os nervos a flor da pele mas com uma sensação maravilhosa, principalmente quando as vitórias acontecem.
A primeira experiência surgiu ainda na escola quando por gostar demasiadamente de futebol e não ter habilidade suficiente para tornar-me um jogador, iniciei no campeonato escolar como treinador de futsal. A partir daí foram várias as oportunidades e boas histórias vividas. Em uma delas um empate no último minuto que nos deu a classificação para o fase final. Após sofrer o gol da eliminação faltando cerca de 4 minutos para o fim da partida, coloquei na quadra o Carlos, um jogador pouco utilizado na competição. Ele roubou a bola no meio da quadra, partiu para o ataque e logo disparou fazendo um belo gol. O cômico foi que quando ele roubou a bola eu fui correndo na lateral da quadra juntamente com o Carlos e quando ele acertou o gol, invadi em uma comemoração incrível. De pouco valeu a nossa classificação, pois a escola não deu sequência na competição.
Por várias vezes estive atuando no futsal e em uma delas conquistamos o vice campeonato do  Municipal de Belo Horizonte de Futsal Regional Norte. Comandando a equipe do Vila Aeroporto chegamos em segundo lugar na fase de pontos corridos.
Também em meu trabalho criamos um time quase imbatível de futsal que contava até com um atleta, o Ronaldo que chegou a jogar no Minas Tênis Clube.
No futebol de campo foram vários jogos amistosos muitas vezes tendo como parceiro o meu velho amigo Tula Lobato dividindo o comando do time. E com ele começamos um trabalho nos juniores do meu "glorioso"  São Bernardo E C que infelizmente não foi continuado. Digo infelizmente porque tínhamos uma proposta diferente de trabalho. Treinamento duas vezes por semana, dividido entre físico e técnico. Mas era um projeto audacioso para um clube amador de Belo Horizonte naquela época.
Novamente em meu trabalho voltamos a montar uma equipe, desta vez de futebol de campo. Fizemos alguns amistosos mas devido a transferências e desligamentos de alguns colegas de trabalho, o time caiu no esquecimento.
Morando em Bom Despacho MG totalmente desligado do futebol amador e quase que do esporte em geral, recebi um convite de um novo amigo, Alexandre Camargos, para assistir aos jogos do Campeonato Municipal. Sua empolgação era tamanha por estar disputando pela primeira vez a competição, que deixei meus compromissos sociais e familiares de lado e juntamente com o meu filho e fiel parceiro Matheus Santos fomos ao estádio Pedro Lino da Costa, ver o Ipiranga do Engenho enfrentar o Famorine. O Ipiranga era tão desorganizado e com condições financeiras tão precárias, comandado por um verdadeiro "Guerreiro", Antônio Ferrugem, pessoa de extrema humildade pelo qual tenho imenso carinho e respeito. Era um faz tudo, Presidente, Treinador, Roupeiro, Massagista, Gandula e podemos dizer até torcida, já que eram poucos os que acompanha o Azulão do Engenho por pertencer a um distrito de Bom Despacho.
Fiquei comovido com a derrota que presenciei e já no sábado seguinte estava eu sendo contratado pelo presidente Ferrugem em uma negociação que durou quase dois minutos. Negócio fechado, eu seria o treinador do time principal e o presidente dos Aspirantes.  Fui apresentado aos jogadores depois do treino com o presidente dizendo "Estou trazendo um treinador para acertar nosso time, Eu estava negociando com ele a muito tempo...". Minha primeira missão era nada menos que algumas horas depois, no domingo pela manhã, enfrentar o Cristalino, que havia acabado de conquistar o vice campeonato da Copa Regional Tv Alterosa, em seu estádio. Eu não sabia quem era o Cristalino, onde ficava o seu estádio, alias eu não sabia nem quem era o Ipiranga, pois os únicos jogadores que eu conhecia era o Alexandre Camargos e seu irmão Alírio. 
E começamos com o pé direito, no Aspirante devido ao grande sufoco que o time levou no primeiro tempo tendo levado um gol e o adversário ainda chutado um pênalti para fora, assumi o time no intervalo. Armei um esquema mais compacto e o time aos poucos foi se soltando e tomando confiança. Washington fez o gol de empate cobrando falta em que a bola desviou na barreira e tivemos chances de virar o jogo. Esse resultado já era motivo para comemorar. No time principal, onde a possibilidade de um desastre era iminente, saímos na frente no placar, levamos o empate ainda no primeiro tempo e voltamos a frente no começo do segundo tempo vencendo a partida. Chegamos a ser vice líder da competição atrás somente da Sociedade Esportiva Palmeiras muito bem comandado pelo amigo Arone. 
Infelizmente a falta de comprometimento dos atletas amadores, em nosso jogo decisivo para classificação fiquei desfalcado dos dois melhores jogadores, que foram ao Mineirão assistir um jogo do Brasileirão/2009 me fez tomar duas medidas: Deixar o Ipiranga após a derrota que nos tirou a possibilidade de classificação e prometer que nunca mais ocuparei o cargo de treinador de futebol.
Como disse inicialmente, foi muito boa a experiência. Fui convidado por clubes de Bom Despacho e recentemente um do Alto Paranaíba. Fico muito grato pela confiança e confesso que me deixa pensativo. Mas  "Quando a vontade vem eu penso e deixo a vontade passar".

terça-feira, 23 de abril de 2013

COMEÇANDO A CONVIVER COM O ESPORTE.

Em 1986 comecei  acompanhar  definitivamente o futebol. Lembro-me que em 1985 assisti à eliminação do Atlético MG no Campeonato Brasileiro, em uma semi-final em que era quase unanimidade nacional o seu favoritismo. Atlético MG X Coritiba, Bangu x Brasil de Pelotas. E o Coritiba levou o título da temporada. Também em 1985 acompanhei um jogo treino na Vila Olímpica, antigo centro de treinamento do Atlético entre Seleção Brasileira X Atlético (Júnior). No primeiro tempo 6 x 0 para o Brasil. Zico, Sócrates, Cerezo, Éder, Junior, Falcão, Luizinho, Oscar entre outras feras inesquecíveis.  No intervalo fomos embora, pois o técnico Telê Santana colocou em campo alguns jogadores que não despertavam tanto interesse. Eram nada mais nada menos que Paulo Vitor, Careca, Branco, Silas, Júlio César, Muller, Alemão, todos tiveram carreira de muito sucesso.
E foi a partir de 1986 que o futebol virou parte do meu dia-a-dia. Foi aí também que despertou em mim uma outra paixão. A Imprensa Esportiva.
Acompanhava pela  extinta Rede Manchete de Televisão, o dia-a-dia da Seleção Brasileira que treinava na Toca da Raposa 1.  Passei a assistir e ouvir todos os programas esportivos de Rádio e TV. Rádio Itatiaia passou a fazer parte da minha rotina. Acompanhava diariamente, Manchete Esportiva, Esporte Total, Globo Esporte, Minas Esporte, Campeonatos Mineiro, Paulista e Carioca.  Estava por dentro de todos os detalhes e fui virando um arquivo de informações. Por várias vezes ganhei prêmios no programa “Bola Premiada” da Rádio Itatiaia, programa de perguntas e respostas sobre o futebol.
A cada entrevista de treinadores, a cada jogo, acompanhava atentamente as opiniões dos comentaristas. Telê Santana, Jair Pereira, Carlos Alberto Silva e o meu favorito Ênio Andrade, que fazia da suas entrevistas coletivas depois do jogo uma aula de esquema tático.
Assim fui aprendendo o que significava um 4-3-3, 4-4-2 e por aí a fora. Assistir um jogo deixou de ser  exclusivamente torcer para o time fazer gol e sim analisar movimentos e posicionamento dos atletas dentro de campo as variações e funções táticas. Assim voltei a ter chances no futebol, não como um jogador, mas quem sabe, como treinador. 

Por Alexandre Oliveira

quinta-feira, 4 de abril de 2013

MINHA TENTATIVA DE SER JOGADOR DE FUTEBOL.

Quando nasci já encontrei na família três irmãs. Como meu pai viajava muito à trabalho,  vivi até os 5 anos praticamente sem contato com a bola. Quando mudamos de bairro, conheci alguns garotos e fui para as brincadeiras de rua. Não conhecia os nomes das brincadeiras com bola como: Peladinha, Controle, Golzinho, Tira-Tira. Minha intimidade com bola era nenhuma, gostava muito mais de brincar de carrinho. Aos poucos, para acompanhar os colegas, comecei a gostar das brincadeiras com bola. E fui gostando cada vez mais. Porém a habilidade necessária para se despontar no futebol me faltava. Ganhei um brinquedo que seria o mais usado em toda a minha infância e que até hoje as vezes brinco com os meus os filhos, o "Jogo de Botões". Jogando, muitas vezes com meu cunhado César "Bocão", fui decorando as escalações dos times, que conhecia através do "Futebol Card", para ir narrando os jogos de mesa. Usando a imaginação de toda criança transformava aquelas jogadas de mesa em minhas jogadas no futebol. Na vida real formávamos times para jogarmos o futebol de rua. Criamos o "Canarinho" e nossa concentração era dentro de um banheiro desativado que ficava no quintal da casa do Radamés, um jogador do time. Cada garoto contribuía com 5 centavos, quando tinha, para compra açúcar e um pacote de "Ki-Suco", para felizes comemorarmos depois do jogos. Fazíamos campeonatos onde os troféus eram com base de madeira, taco e cabo de vassoura, e um bonequinho. Joguei também no Eliseu, time que levava o nome devido as camisas do uniforme que eram de um candidato ao  governo do Estado. Eu estava muito longe dos melhores jogadores mas o primeiro gol do Eliseu foi meu, marcado de barriga.
No futebol de campo tentei ser jogador do São Bernardo E C. Entrei para escolinha para jogar como lateral direito. Comprei até chuteiras mas o futebol mesmo nada. Treinava sozinho no quintal da minha casa e as plantas e quem sofriam com os chutes. Um dia o Carlinhos Açougueiro me levou para jogar no Campo Verde. A atuação foi péssima e eu desisti de ser jogador de futebol de campo. Na Educação Física da escola eu sempre era um dos últimos a ser escolhido no par ou ímpar. Fui vendo a minha chance de ser jogador chegando ao fim, como já estava "louco" por futebol, decidi que para continuar no mundo da bola, teria que ser de outra forma.
Na tentativa de virar um jogador de futebol tentei ser goleiro, posição que meu pai jogou. Aos sábados as 6 da manhã estávamos realizando o pesado treinamento de goleiro. Eu, Demetrius e os goleiros Cléber (titular do Amador do São Bernardo e que tinha uma grande elasticidade apesar do seu sobre-peso) e o Júlio que treinava muito mas não se firmava em nenhum time. Tomei a dura mas correta decisão que dentro das quatros linhas eu não tinha chances. Como nunca pensei em ser Arbitro ou Bandeirinha, a maneira de continuar no futebol era ser o Técnico do time. E foi exatamente isso que eu fui fazer. 
Pode uma pessoa que não tem o dom de jogar futebol ser um treinador? Como fiz isso, conto no próximo no post.

Por Alexandre Oliveira

domingo, 31 de março de 2013

MINHA PAIXÃO PELO FUTEBOL.

Olá,

A partir de agora estarei utilizando o meu antigo blog para contar minhas histórias relacionadas ao maravilhoso mundo esportivo. As notícias do dia-a-dia você continuará vendo através do site www.explosaodoradio.com , uma maneira mais organizada de divulgar minhas informações.
Todos nós temos uma história para contar, para se chegar na posição em que você está hoje, seja profissional, familiar ou em alguma atividade voluntária, várias etapas em sua vida foram vencidas, várias pessoas influenciaram, ajudaram, desanimaram enfim deixaram sua marca nesta caminhada. O difícil é ter tempo para escrever e principalmente, compor a "redação" da sua vida. É o que vou tentar fazer a partir de hoje.
Nasci em Belo Horizonte em dezembro de 71, portanto não vi a Seleção Brasileira ser tri no México e nem o meu clube de coração, o Atlético Mineiro ganhar o maior título da sua história, cheguei ao mundo 5 dias depois, da conquista do título de Campeão Brasileiro.
Meus pais são fanáticos com o futebol e em situação inversa, meu pai Atleticano doente, digo doente porque ele passa mal com algumas derrotas do galo e minha mãe Cruzeirense fanática. Lembro-me que com meus três ou quatro anos o Cruzeiro vivia um grande momento e minha mãe ao final dos jogos, levava eu e minha irmãs para um viaduto que atravessa a avenida Catalão, via que leva os cruzeirenses ao Mineirão, para ficarmos vibrando com o movimento festivo dos que vinham do estádio. Mesmo assim dos quatro filhos apenas uma virou torcedora celeste.

No fim de 77 mudamos para o bairro São Bernardo, forte no futebol amador, fomos morar a duas quadras do campo do glorioso São Bernardo E C e em frente a sede do time. Começa aí a paixão pelo futebol amador.

Lembro-me do sofrimento do meu pai na final do campeonato Brasileiro de 77, quando o Atlético perdeu nos pênaltis para ao São Paulo no Mineirão, sendo vice campeão invicto. Acompanhei alguns momentos da Copa Mundo da Argentina em 78, Brasil campeão moral, e recordo bem da final do Brasileiro de 80 com o Flamengo ficando com o título diante do Atlético MG.

Na virada das décadas de 70 para 80 surgiram os cards da Ping Pong, Futebol Card. Eram cartelas com os jogadores dos 22 maiores clubes no momento e no verso continham dados pessoais dos atletas, clubes que jogaram e títulos conquistados. Colecionando estas figuras, conquistei vários amigos entre eles os irmãos Demétrius e Dão, e passei a inteirar-me sobre as historias dos clubes e dos atletas.

No próximo post, estarei falando da minha tentativa de ser jogador de futebol.

Por Alexandre Oliveira



sábado, 28 de julho de 2012

NOVO SITE

Agradeço a você internauta. A partir de agora buscando sempre melhorias nas informações este será o novo endereço:



Acesse e deixe sua mensagem sobre a mudança.
Abraços
Alexandre Oliveira

terça-feira, 24 de julho de 2012

REGIONAL LPD: COM FRACO FUTEBOL, PEC PERDE EM CASA


Em uma das piores apresentações do Paranaíba neste um ano e meio que acompanho o futebol em Carmo do Paranaíba, o PEC perdeu em casa para um Tirense organizado taticamente. Desfalcado de Luciano Dragão e Indinho e totalmente desorganizado taticamente, o primeiro tempo foi sofrível principalmente se tratando do sistema defensivo, mesmo com o goleiro Gustavo voltando a fazer uma grande atuação. O Tirense tocava muito bem com boa participação dos meias Branco e Tiago e seu ataque em grande velocidade com Marco Antônio e Lucas, jogava nas costas dos laterais levando perigo ao gol de Gustavo. Outro problema que o PEC voltou a apresentar, foi o posicionamento dos Volantes, criando muito espaço no meio. Enfim parecia que o Paranaíba estava antevendo o "Apagão Energético" que acometeu o Carmo do Paranaíba.
O Tirense abriu o placar logo aos 3 minutos, Branco roubou a bola no meio, carregou e tocou para Tiago bater na saída de Gustavo. O Paranaíba a partir daí tentou a reação, porém sem muito sucesso. Pael tentou corrigir a marcação tirando Valzinho e entrando Diego Veio, com Baianinho passando a jogar na lateral direita.
No segundo tempo o Paranaíba voltou tocando mais a bola mas não conseguia criar com qualidade. Levou maior perigo num chute de Fabiano Tolentino que Fabiano Chapisco chegou atrasado. O atacante Lucas do Tirense foi infantilmente expulso ao chutar a bola pela lateral depois da marcação de uma falta. Pael avançou o time com várias mudanças porem a única que surtil efeito foi entrada de Clesinho. O que se viu foi um amontoado de jogadores sem organização tática, sempre parando nos cortes precisos do zagueiro Juninho ou na firmeza de Bazé. O Tirense pela segunda vez seguida vem a Carmo do Paranaíba e vence no João Luiz de Carvalho.

Paranaíba: Gustavo; Valzinho(Diego Veio), Elias, Vilmar(Silas), Baianinho(Douglas Quintinos); Valdeir(André Bontempo), Daniel, William Paulino, Fabiano Tolentino(Clesinho); Fabiano Chapisco, Tiago X. Tec: Carlos Alberto Pael

Tirense: Bazé; Tadeu, Juninho, Hiago, Rodrigo; Vilmar, Branco(Alexandre Maria), Tiago(Eduardo), William; Lucas, Marco Antonio( Luiz Otávio): Tec: Nivio

Arbitragem: Sílvio Monteiro Braga   Aux 1: Evane Silva Rosa  Aux 2: Eduardo N Soares

Cartões: Amarelo: Diego Veio (Paranaíba); Tadeu, Vilmar, Lucas, Alexandre Maria (Tirense). Vermelho: Lucas (Tirense)

Público Pagante: 221
Renda: R$ 2.210,00













Fotos: Matheus Oliveira


domingo, 15 de julho de 2012

LANCES DE BELA VISTA 6 X 3 SELEÇÃO PINHEIRENSE

REGIONAL LPD: GOLEADA DE LIDER

Em um jogo atípico realizado na tarde de sábado(14) no estádio Aprígio da Costa Marinho, o Bela Vista venceu a Seleção Pinheirense por 6 X 3 e assumiu a liderança do Campeonato Regional da Liga Patense com um 6 pontos ganhos, mesmo tendo um jogo a menos que Monte Carmelo(6) e Coromandel(5). O Bela Vista começou com uma movimentação avassaladora com destaque do quarteto, Ricardo Biquinha, Carlinhos Tatu, Juninho Ratinho e Victor. A Seleção Pinheirense desfalcada de alguns jogadores, mostrava desentrosamento  e dificuldades na saída de bola, pois o Bela Vista marcava sob pressão. A resistência da Seleção durou apenas 10 minutos quando Victor abriu o placar para o Pica-Pau Carmense. O interessante é que apesar da pressão do Bela Vista a Seleção cometeu apenas uma falta até os 29 mim do primeiro tempo. A Seleção Pinheirense chegou ao ataque pela primeira vez aos 34 minutos com Maurício recebendo uma boa no meio dos zagueiros e tocando por cobertura empatando o jogo. O Bela Vista aumentou a pressão e aos 39 minutos voltou a frente no placar com Carlinhos Tatu de cabeça após cobrança de Falta da esquerda. Aos 41 minutos Victor ampliou para 3X1. Na saída de bola aos 42 minutos, Maurício foi a linha de fundo e bateu cruzado diminuindo o placar. 
No Intervalo o Bela Vista voltou com uma modificação, Marcos Pelé no lugar de Síllio contundido no ombro. Logo aos 2 minutos Ricardo Biquinha aumentou para 4X2. Aos 20 minutos novamente Ricardo Biquinha 5X2 e aos 36 minutos Ronaldinho ampliou a goleada. Aos 42 minutos Hazenclever diminuiu de cabeça dando números finais ao jogo 6x3 e comemorando de forma que arrancou risos da maioria dos presentes ao estádio. Vitória incontestável do Bela Vista que mostrou  ter time para brigar pelo título da competição. A Seleção Pinheirense sofreu a sua terceira derrota caindo para o último lugar.

Bela Vista: Roger; Ronaldinho, Felipe, Wilson, Síllio (Marcos Pelé); Décio, Douglas(Gibi), Ricardo Biquinha, Carlinhos Tatu(Rafael); Juninho Ratinho(Caio), Victor(Juninho Patrola). Tec: Wilson Oliveira "Grilo"

Seleção Pinheirense: Daniel Gomes(Daniel); Delano, Derinha, Luiz Fernando(Hazenclever), Japão; André, Wendy, Luciano, Renatinho(Elias); Mauricio, Vaguinho. Tec: Juarez

Cartões Amarelo: Marcos Pelé (Bela Vista). Delano, Luiz Fernando, Luciano, Renatinho, Wendy, Hazenclever (Seleção Pinheirense)

Arbitragem: Cássio Luiz Ribeiro Duarte  Aux 1: João Batista Soares  Aux2: Eduardo Nogueira Soares

Publico Pagante: 143
Renda: R$ 1.430,00















Fotos: Matheus Oliveira

sábado, 7 de julho de 2012

EM JOGO DE GRANDE VELOCIDADE, PARANAÍBA VENCE ELIAGRO EM PATOS DE MINAS

Em jogo de muita velocidade o Paranaíba do Carmo venceu a Eliagro de Patos de Minas esta tarde(7) no estádio Beira Rio em Patos de Minas. O jogo começou com a equipe da Eliagro jogando em alta velocidade e pressionando a equipe carmense que entrou em campo modificada em relação a partida de estreia. Foram cerca de 20 minutos iniciais de pressão da Eliagro que chegou a ter uma chance claríssima de gol defendida pelo goleiro Gustavo Ramon. Após os 20 minutos o PEC foi se adaptando as dimensões do gramado e foi equilibrando o jogo chegando a estar melhor nos 15 minutos finais tendo Tiago X teve 3 chances de abrir o placar.
No segundo tempo a Eliagro voltou pressionando mas foi o Paranaíba que aos 7 minutos abriu o placar. Daniel deu um excelente passe para Tiago X que foi na linha de fundo e cruzou para Fabiano Chapisco tocar para o fundo das redes. Aos 21 minutos a Eliagro empatou com Marcelinho depois do rebote do goleiro Gustavo Ramon. A partir daí a Eliagro voltou a pressionar até que aos 34 minutos, William Paulino cobrou falta, a bola caiu no canto inferior esquerdo do goleiro Baiano que parecia que conseguiria fazer a defesa e acabou levando o chamado "frango". Aos 36 minutos Tiago X o destaque do segundo tempo invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Baiano que foi expulso corretamente pelo Arbitro. William Paulino cobrou com categoria e Luizão acabara de entrar não teve chance. 3 X 1. Neste momento começaram as confusões do Trio de Arbitragem, juntamente com a Representante. A Eliagro colocou além do goleiro reserva Luizão, o meia Altamir ficando por dois minutos com 11 jogadores em campo mesmo tendo o seu goleiro titular expulso aos 36 minutos. Por reclamação o zagueiro Merrinha levou o segundo amarelo aos 40 minutos e foi expulso. O arbitro andava pra lá e pra cá parecendo sem rumo e encerrou o jogo aos 45 minutos. Os jogadores da Eliagro reclamaram bastante, mas a vitória do Paranaíba foi merecida e incontestável. Daniel do Paranaíba foi o melhor jogador em campo, e Tiago X desequilibrou no segundo tempo. 

Eliagro: Baiano; Marcelinho( Luizão), Sérgio, Merrinha, Ponês(William); Renato(Miguel), Paulo Junior, Dedé, Dudú; Capivara, Douglas (Écio Junior).

Paranaíba: Gustavo Ramon; Baianinho(Valzinho), Elias, Vilmar, Luciano Dragão (Douglas Buquinha); Valdeir(Fabiano Tolentino), Indinho, Daniel, William Paulino; Fabiano Chapisco, Tiago X. Tec: Carlos Alberto Pael

Arbitragem: Eliomar Aparecido Monteiro   Aux 1: Cleonaldo Caetano  Aux 2: Ademir Candido

Cartões: Amarelo - Baiano, Marcelinho, Merrinha, Paulo Jr. Miguel, Altamir(Eliagro); Luciano Dragão (Paranaíba)
Vermelho: Baiano, Merrinha (Eliagro)

Público: Não Informado.

ELIAGRO PARANAÍBA
FALTAS COMETIDAS 17 8
FINALIZAÇÕES CERTAS 4 5
FINALIZAÇÕES ERRADAS 12 6
ESCANTEIOS 12 11
IMPEDIMENTOS 3 2










terça-feira, 3 de julho de 2012

CAMPEONATO DE MASTERS: ASPRA VENCE IPIRANGA DO ENGENHO E FICA COM O TÍTULO

Em uma manhã de domingo (01) gostosa no Engenho do Ribeiro, a equipe da ASPRA, voltou a vencer o Ipiranga do Engenho, no primeiro jogo havia vencido por 4X2. Desta vez o placar ficou Ipiranga 1 X 2 ASPRA. A equipe da ASPRA que poderia até perder por um gol de diferença, tratou logo de buscar o resultado e aos 7 minutos do primeiro tempo, Carioca foi a linha de fundo e cruzou para Niltinho fazer de cabeça  o 1º gol do jogo. O Ipiranga lançou-se para o ataque e empatou rapidamente aos 12 minutos através de Buginho. Aos 28 minutos João Lino da ASPRA foi expulso o que poderia ter facilitado a vida do Ipiranga, mas o 1º tempo ficou mesmo 1X1.
No Segundo tempo o técnico Ferruge fez uma inversão tática colocando o zagueiro Ocimar Bispo no ataque e Marquinho do Blog na defesa. A mudança de nada adiantou o Ipiranga caiu de produção e a ASPRA chegou ao segundo gol aos 30 minutos para ficar de vez com título. ASPRA CAMPEÃ DO TORNEIO DE MASTER DE BOM DESPACHO/2012.

Ipiranga: Joel; Anastácio, Bispo, Magelinha, Adelson; Ninho, Marinho, Arnaldo, Alex; Marcinho e Buginho. Entraram no jogo: Marquinho do Blog, Liberingua, Lelei.  Tec: Antônio Ferruge.

ASPRA: Ratinho; Lacerda, Newton, Pezão, Carioca; Anísio, Hamilton, João Lino, Ronaldo; Niltinho, Lima.
Entraram no jogo: Denis, Picata, Naldinho, Alexandre, Tebinha. Tec: Moacir

Arbitragem: Tiago Sabino Junior     AUX 1: Aislan D'lon   AUX 2: Adriana Libéria

Cartões: Amarelo: Magelinha, Marquinho do blog (Ipiranga) João Lino, Ronaldo Denis (ASPRA)
Vermelho: João Lino (ASPRA).

Um bom público compareceu ao Parque do Azulão.

Mais uma vez tive o prazer de estar em Bom Despacho, revendo amigos e transmitindo com a Equipe a Dona da Bola. Agradeço a presença do amigo reporter Fábio Amaral que participou da nossa jornada.







segunda-feira, 2 de julho de 2012

100 NARRAÇÕES E MUITAS EMOÇÕES.

Na partida de sábado (30), completei a minha centésima narração esportiva. Como havia escrito antes, seria para mim um dia de grande importância e não foi diferente. Além da importante marca, os amigos que conquistei em Carmo do Paranaíba e região me emocionaram e deixaram este 30/06 ainda mais especial. O dia começou no programa de enorme audiência  "Som da Terra" com Compadre Tim. Deixo meu agradecimento a ele ao companheiro da Assis, da Radio União de João Pinheiro. No Planeta nos Esportes mais reconhecimento deste vez do amigos Fábio Amaral e César di Aguiar e também Antônio César da Super Radiopatos. 
Na minha esperada "jornada 100", é que a emoção tornou-se ainda maior, quando foi surpreendido com uma belíssima homenagem realizada por toda a diretoria do Paranaíba liderada pelo Presidente Paulo Sérgio. Foi me entregue uma Placa Comemorativa e uma Camisa do novo uniforme do Paranaíba, demonstrando um gestão de carinho e de amizade dos membros deste instituição que me acolheu muito bem. Fico extremamente feliz em pouco tempo nesta cidade, poder participar e colaborar com uma das atividades mais apreciada pela a população e ser reconhecido. Valeu mais que receber salário. Salário acaba em poucos dias, mas este reconhecimento não esquecerei jamais. Enquanto Deus me conceder a graça de residir nesta cidade, estarei buscando colaborar, torcendo e vibrando com o Paranaíba , com o Bela Vista e outras equipe do Carmo que tenha  o prazer de participar de alguma forma.
Em nome do Presidente Paulo Sérgio, para não cometer a injustiça de esquecer algum nome, agradeço a toda a nação do PEC. Agradeço também ao companheiros de jornada Claudio Cícero, Fábio Amaral e João Bastista, ao Carlos Amado da Radio Diamante de Coromandel, aos amigos da Radio Nova Veredas FM de Bom Despacho, aos Companheiros Rotarianos a meus familiares e a você ouvinte e internautas pelo qual sempre me esforço buscando melhor qualidade. Que Deus me permita comemorar por muitas e muita vezes.




Alexandre,

O Paranaíba Esporte Clube, sente-se lisonjeado em ser protagonista de sua 100ª narração.
Parabéns pela marca, e que sua vibrante e marcante narração continue ecoando e emocionando por mutos e muitos anos.

Carmo do Paranaíba, junho/2012

Paranaíba Esporte Clube - PEC









sábado, 30 de junho de 2012

VEJA O GOL DE EMPATE DO PARANAÍBA MARCADO POR INDINHO

video

REGIONAL DA LPD: PARANAÍBA SENTE DESENTROSAMENTO E EMPATA EM CASA

Esta tarde (30) no estádio João Luiz de Carvalho, Paranaíba e Coromandel fizeram um partida bastante movimentada. O Paranaíba começou o jogo no esquema 3-5-2, com os novatos Indinho e Elias na equipe. O Coromandel começou melhor, aproveitando os erros de saída de bola da equipe Carmense. Indinho e Diego Veio se confundiam na marcação como também os 3 zagueiros tiveram muita dificuldade no posicionamento. No ataque ficou visível que o atacante Fabiano Chapisco encontra-se sem ritmo de jogo. Aos 16 minutos, Indinho perdeu a bola no meio, Batatinha lançou Charles que invadiu a área, driblou Gustavo Ramom e tocou para Batatinha que colocou com muita categoria por cobertura fazendo um belíssimo gol. A partir daí o Paranaíba avançou em busca do empate, 6 cobranças de falta em local de grande perigo desperdiçadas.
No intervalo o técnico Carlos Alberto Pael, colocou Baianinho no lugar de Vilmar, passando a jogar no 4-4-2. O time atacava mas não conseguia chegar com grande perigo ao gol de Daniel. Aos 9 minutos em mais uma cobrança de falta, Luciano Dragão bateu forte e rasteiro, a boa bateu na trave correu a linha bateu na outra trave e na sobra Indinho chutou no travessão entrando com bola e tudo. O Coromandel reclamou e o meia Batatinha levou o Amarelo e Vermelho em seguida, causando grande confusão. Baduí também foi expulso e a partida ficou interrompida por 10 minutos. Dos 19 os 53 minutos o Paranaíba com dois jogadores a mais não conseguiu o gol da vitória.

Paranaíba: Gustavo; Valdeir (Clesinho), Elias, Vilmar(Baianinho), Luciano Dragão; Diego Veio (Valzinho), Daniel Pensador, Indinho, Tiago X (Silas); Fabiano Chapisco, William Paulino. Tec: Carlos Alberto Pael.

Coromandel: Daniel; Djar, Baduí, Nenê, Betinho; Patú, Rudson, Táti, Batatinha; Charles, Paulo Humberto.
Téc: Marcinho

Arbitragem: Almir Pereira    Aux1: Adalto Pereira Andrade    Aux2: Bruno Alves Ribeiro

Cartões: Amarelo: Elias, Vilmar, Luciano Dragão, Tiago X, Silas (Paranaíba). Djar, Nenê, Rudson, Batatinha, Táti, Matheus (Coromandel).
Vermelho: Batatinha, Baduí (Coromandel)

Público: 263
Renda: R$ 2.630,00



















Fotos: Matheus Oliveira

sábado, 23 de junho de 2012

100 VEZES: PRÓXIMA TRANSMISSÃO ATINGIREI A MARCA DE 100 JOGOS NARRADOS




Em minha próxima transmissão esportiva estarei completando a marca de 100 jogos como narrador de futebol. Esta marca pode não ser tão relevante para um profissional da área, mas para mim que faço por lazer e com muito prazer é de tamanha importância. Saber que estou prestes a realizar pela centésima vez  algo que tinha desde a infância muita vontade de fazer, mas que achava que seria impossível. Comecei a realizar este sonho no dia 09/09/2009 graças as meus grandes amigos, o especialista em revelar locutores, José Francisco do Santos "Ranchinho" e Fabiano Oliveira, sendo convidado a ser Comentarista Esportivo da Radio Nova Veredas FM. Para mim já era fantástico participar da imprensa, mas a minha grande vontade era ser Narrador Esportivo, apesar de que achei que não conseguiria, quando participei pela primeira vez como comentarista. Em 18/10/2009 por falta de Narrador iniciei esta serie de 100, na partida entre Esplanada 8 X 3 Palmeiras pelo Campeonato Municipal de Bom Despacho. Não sabia se teria nova oportunidade ou até mesmo se permaneceria no rádio, mas já podia dizer que um dia fiz a sonhada narração de uma partida de futebol.
Pela Radio Nova Veredas FM, foram 45 transmissões, com partidas dos Campeonatos Municipais de 2009, 2010 e 2011; Copa TV Alterosa 2010 e 2012, Copa dos Campeões de Pompéu, Copa Rádio Nova Veredas, Regional do Alto São Francisco, Super Copa dos Campeões da Copa TV Alterosa e Society da Praça de Esportes.
Em 30/01/2011 estava tendo nova oportunidade desta vez através de um novo amigo Cláudio Cícero que não somente me recebeu bem como também me deu forças quando queria desistir após a segunda partida transmitida. Juntamente com Cláudio Cícero e outro amigo Fábio Amaral formamos um trio que dá muito prazer em trabalhar juntos, devido a harmonia e o respeito mutuo. Na Planeta AM já foram 54 partidas, sendo duas Copas Regional Amapar, um Campeonato Regional da LPD e um amistoso profissional entre Mamoré 1 X 2 Cruzeiro. 
Hoje estou com a situação devidamente regularizada na AMCE - Associação Mineira dos Cronistas Esportivos porque apesar de fazer por lazer, busco sempre melhorias no que eu faço.


Estádio Bernardo Rubinger de Queiroz - Patos de Minas

Equipe A Dona da Bola - Bom Despacho

Estádio Aprígio da Costa Marinho - Carmo do Paranaíba

Estádio João Luiz de Carvalho - Carmo do Paranaíba

Estádio João Januário de Campos - Pompéu

Estádio Antônio Albino de Moura - Arapuá

Estádio Marco Antônio de Castro - Lagoa Grande



Estádio Waldemar Teixeira de Faria - Farião Divinopolis

Estádio José Carlos Romero - Pinicão (João Pinheiro)

Estádio Marcondes Gontijo de Melo - Tiros

Estádio Jaime Afonso dos Reis - Perdizes

Estádio Pedro Lino da Costa - Bom Despacho


Estádio Antônio Leite de Oliveira - Bom Despacho





100 Transmissões já são muitas historias contadas e para contar. Nós Narradores Esportivos somos vendedores de emoções, é fazer com que o ouvinte, vibre e se emocione com algo que lhe é contado, sem ver realmente o fato. Neste período com certeza vendi muitas emoções. Agradeço aos meus amigos acima citados e todos aqueles que convivi e convivo nas duas emissoras. Agradeço  a      minha família pelo apoio, principalmente a minha esposa e a Deus por me proporcionar tantos amigos e momentos tão prazerosos.